sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Rouquidão em Gatos!?

Hoje perguntaram para minha mamãe se ela sabia porque os gatos ficavam roucos. Daí então, ela procurou na internet e achou uma matéria bem legal sobre o assunto para postar aqui no meu blog.

"Tranqüilos e chegados numa boa soneca, os gatos parecem os animais de estimação mais sossegados que existem.
Mas só parecem. Quem tem um (ou vários) sabe que, por trás da atitude zen, gatos estão sujeitos a várias situações de estresse.
Visitas em casa, saídas para o veterinário e o uso de um aspirador de pó provocam reações extremadas: os gatos podem soltar pêlos, esconder-se pela casa, miar incessantemente ou agir de forma violenta. Ou ter todas as reações acima ao mesmo tempo.
O gato sofre de estresse quando se sente inseguro, ameaçado, doente ou até mesmo entediado.
E as razões são muitas: gatos não gostam de ver ou de sentir a presença de um animal próximo a seu território; não gostam de mudanças em casa, como uma reforma ou a aquisição de novos móveis, ou mesmo uma nova casa; têm pavor de barulhos altos; são arredios a donos hostis; demoram a se acostumar com novas pessoas em casa e temem visitas.
O professor Carlos C. Alberts, especialista em comportamento de felinos, da Unesp de Assis, SP, explica que parte da ansiedade do gato vem do conflito entre sua adaptação doméstica e sua origem selvagem.
"Por um lado, o gato tem comida e abrigo oferecido pelo dono, mas, por outro, precisa exercer uma parte de seu comportamento fora de casa", explica.
"Quando estão na rua, os gatos domésticos de estimação encontram outros gatos, estabelecem relações sociais com eles, caçam, procuram comida, fazem a corte, os machos exercem sua territorialidade e as fêmeas, sua hierarquia", exemplifica.
"É bastante possível, do ponto de vista comportamental, que a falta de atividades fora de casa cause estresse", diz.
Para o comportamentalista Alexandre Rossi, "é como se os gatos fossem programados para levar um tipo de vida - se são colocados numa situação diferente, reagem".
Isso vai de um estímulo desagradável para o gato até a falta completa de estímulo, ou seja, o tédio. Por isso, é importante suprir essas necessidades com um enriquecimento ambiental.
"Quem mora num apartamento pequeno, por exemplo, pode dispor de uma janela para o gato olhar a rua, oferecer brinquedos, trazer cheiros diferentes e esconder comida pela casa", detalha Rossi.
As causas mais comumente associadas ao estresse do gato estão identificadas nas páginas a seguir, junto com algumas lições para minimizar os efeitos.
Se você tiver a oportunidade de conviver com o gato desde os primeiros dias de vida, a socialização irá deixá-lo mais seguro e pronto para novas situações ao longo de sua vida.
Caso isso não seja possível, duas lições valem para quase todas as situações de estresse:
1) o gato deve ter um esconderijo seguro, de preferência em lugar alto, e com os acessos sempre livres;
2) a caixa de transporte deve ser um ambiente agradável para ele, talvez até o lugar onde durma e, de vez em quando, receba petiscos.
Se o seu gato apresentar sinais de estresse de vez em quando, você não precisa ficar tão preocupado.
"Um pouco de estresse não fará mal nenhum ao gato; o que não pode acontecer é o estresse contínuo", aconselha o comportamentalista Alexandre Rossi, complementando que uma situação prolongada pode levar o gato à automutilação ou à rouquidão pelo miado excessivo.
"No caso de conflitos graves, procure um profissional da área de comportamento animal", acrescenta o veterinário e etólogo Mauro Lantzman, de São Paulo.
"É importante lembrar que sintomas de estresse também podem indicar doença", alerta a veterinária Marcia Rizzi, de São Paulo.
Entre esses sintomas estão os miados constantes, a apatia e, principalmente, a agressividade.
"Diferentemente dos cachorros, os gatos disfarçam a dor ou qualquer sinal de fraqueza, porque isso os torna vulneráveis para outros gatos", afirma Rossi.
Por isso, se os sintomas que você caracteriza como estresse persistem e não há uma causa definida, procure um veterinário rapidamente."

Fonte: PetBrazil

2 comentários:

ina fernandes disse...

ué ixi e sobre rouquidão? fala... Fala risossssss mas nao fala nada sobre rouquidão? poxa grrrrrrrrrr vim ate aqui pesquisando la fora e... e ai? é que meu gato esta rouco e as vezes tosse de ate afogar... e ai queria muito ajuda-lo (ajudar o gato) é que não tem veterinário "gratuito" deveria ter um SUS aos animais...

Renata disse...

É.. Deveria falar mais sobre rouquidão, não fala nada, praticamente! :/ Meu gato tbm está rouco, e estou buscando informações, mas estas não me ajudaram muito, infelizmente!